“Fámílíííá! // UAE 2008-2009”

•Junho 22, 2009 • Deixe um comentário

Obrigado a todos por tudo.

Esta foto é um mosaico: Foi feita com as fotografias do nosso ano.

Vou continuar a postar as minhas fotos no recém-criado FlickR, mas este blog que tantas alegrias me deu entre o abafar de distâncias e o pretexto para a criação vai ficar por aqui, embalsemado, para quem quiser (re)visitar uma experiência fora do vulgar num sítio, também ele, pouco normal… Entre o bom e o mau que tem, entenda-se.

Até breve,

Abraço musculado.

Mosaico Familia

GALERIA FAMILIAR

“Oceano num Aquário”

•Junho 5, 2009 • 1 Comentário

30.1_Oceano num aquário

Foto tirada no (aliás, do) aquário existente no Dubai Mall, o shopping que pertence ao Burj Dubai. Animais exóticos como tubarões, mantas, raias, entre outros, exibem-se pacientemente deslizando nesta amostra de oceano criado pelo homem. Aqui fica um frame deste sítio.

“Criança rima com Esperança.”

•Junho 1, 2009 • Deixe um comentário

Sugestão Musical:

Marvin Gaye – “Save the children” // Lyrics

29.1_Criança

     Preocupamo-nos com o que uma criança será no futuro, mas não são raras as vezes que negligenciamos que já é alguém no presente. No dia Mundial da Criança este é o meu humilde contributo para a conspiração global por um mundo melhor. Se cada um fizer o que puder, Criança pode rimar com Esperança em mais línguas.

“Dubai Workers – Na cidade das sombras”

•Maio 29, 2009 • 2 Comentários

Sugestão Musical:

  Pearl Jam – “Man of the hour”

 

                                                                  “O único trabalho interessante da vida é descobrir. O resto, tudo o resto, são trabalhos forçados.”

(João Sousa Monteiro)

28.1_Dubai-Construction-Workers

ENTER GALLERY

Obrigado ao Nuno Palma pelo espaço gentilmente cedido no servidor e ao Esgana pela ajuda técnica a navegar (sem me afogar) no mesmo. Até já..

“When the sun goes down.”

•Maio 21, 2009 • 2 Comentários

Mais experiências…

Time Lapse que começou por ser desde a Palm Jumeirah (as imagens nocturnas) – perto do famoso hotel Atlantis – para a Dubai Marina na Jumeirah Beach Residence – onde se situa o Oasis Beach Tower, que tem sido a minha casa desde Novembro.

Depois de sermos interrompidos por um segurança que nos proibiu de fotografar a (e da) Palm Jumeirah, mudámo-nos, digamos, de máquinas fotográficas e bagagens para uma das pontes que trespassa a Sheik Zayed Road e daí fizemos as respectivas experiências. Houve um PEQUENO percalço que foi o de nos termos enganado em sensivelmente, vá lá, 180º no sítio onde nascia o sol… Parece incrível, mas o senso comum e o instinto de 4 pessoas estava a apontar todo exactamente para o lado oposto. Para os mais atentos, vão reparar como foi resolvido na edição…

Enfim… Venha a próxima guerra.

                 Companheiros de luta:

                                      Carudji / Madureira / Nuno

                Música:

                                     Blasted Mechanism – “Sun Goes Down” 

“Às mulheres de que somos feitos.”

•Maio 11, 2009 • Deixe um comentário

Sugestão Musical: John Lennon – “Woman”. Para o(a)s mais curioso(a)s aqui fica a Letra.

Existe o dia da mãe. Existe o dia de São Valentim. Existe o dia da mulher… Todos têm um denominador comum: A Mulher. (Sim.. O dia de São Valentim, directa ou indirectamente, também tem a mulher incluída).

Não sei se para não haver espaço ao esquecimento, se para haver pretexto para o reconhecimento ou se para incentivar a economia, de qualquer maneira, ofereço-Lhes uma flor hoje, a despropósito de qualquer data oficial, para provar que é sentido. Deixo o meu elogio e agradecimento, pela força, sensibilidade e por tudo o que me ensinaram do(s) mundo(s).

Todos somos feitos de muitas Delas, as mulheres. Porque tropeçámos, porque corremos atrás, porque descendemos delas.

Aqui fica uma prenda ao natural, e outra “tratada” no lightroom. 

Em especial às minhas duas namoradas. Assim, desresponsabilizo-me perante o mundo, de dar prendas oficiais no aniversário e no festejo do 2º ano de namoro.
27.1_Às mulheres de que somos feitos

27.2_Às mulheres de que somos feitos

“Gotas de memória congeladas na corrente do esquecimento”

•Maio 6, 2009 • 6 Comentários

26.1_Gotas de memória congeladas na corrente do esquecimento

Um ano… Um parêntesis na minha vida. Parêntesis porque o que quer que se escrevesse aqui (Emirados Árabes Unidos) teria um início previsto [ ( ] e um final anunciado [ ) ].

Em retrospectiva, ficam vários momentos congelados num mar de esquecimento em que consiste a nossa vida, onde é mais o que queremos lembrar do que o que lembramos efectivamente. Na memória colectiva da família que improvisámos, fica uma miríade de frases, fotos, gargalhadas, provas de amizade que ajudam a criar os laços a que me vou agarrar quando, daqui por uns tempos, estiver a contar as aventuras e desventuras arábicas.

A família, ou o apelido, não se escolhe, ao contrário dos amigos… Entre todo o muito que aprendi nesta estadia, está o facto de ser possível fazer de um grande grupo de colegas, um forte núcleo de amigos que, automaticamente – e tão naturalmente que mais depressa me apercebi de coração que de cabeça – passou para o patamar de família, entenda-se “fámílííá!” dito com um sotaque africano carregado q.b.

E numa imagem,  tento resumir o mosaico de milhentas outras (algumas terei a oportunidade de mostrar ao mundo com um tempo de antena mais digno desse nome). As gotas – umas (muitas) doces de gargalhadas, outras salgadas de suor e lágrimas – começam na tal data inicial (o primeiro parêntese), seguem lado a lado, pessoa a pessoa, mano a mano, memória a memória, gota a gota até chegar ao fim da experiência (o segundo parêntese) e seguir cada um o seu caminho, mas tendo omnipresente tudo o que partilhámos, construímos e aprendemos juntos.

Acho que para além de nós mesmos [Falcões da Jumeirah], conseguimos incutir em muitas das pessoas com quem nos cruzámos um embrião do cheiro a maresia portuguesa que se resume na palavra:

 

                           SAUDADE…