“Gotas de memória congeladas na corrente do esquecimento”

26.1_Gotas de memória congeladas na corrente do esquecimento

Um ano… Um parêntesis na minha vida. Parêntesis porque o que quer que se escrevesse aqui (Emirados Árabes Unidos) teria um início previsto [ ( ] e um final anunciado [ ) ].

Em retrospectiva, ficam vários momentos congelados num mar de esquecimento em que consiste a nossa vida, onde é mais o que queremos lembrar do que o que lembramos efectivamente. Na memória colectiva da família que improvisámos, fica uma miríade de frases, fotos, gargalhadas, provas de amizade que ajudam a criar os laços a que me vou agarrar quando, daqui por uns tempos, estiver a contar as aventuras e desventuras arábicas.

A família, ou o apelido, não se escolhe, ao contrário dos amigos… Entre todo o muito que aprendi nesta estadia, está o facto de ser possível fazer de um grande grupo de colegas, um forte núcleo de amigos que, automaticamente – e tão naturalmente que mais depressa me apercebi de coração que de cabeça – passou para o patamar de família, entenda-se “fámílííá!” dito com um sotaque africano carregado q.b.

E numa imagem,  tento resumir o mosaico de milhentas outras (algumas terei a oportunidade de mostrar ao mundo com um tempo de antena mais digno desse nome). As gotas – umas (muitas) doces de gargalhadas, outras salgadas de suor e lágrimas – começam na tal data inicial (o primeiro parêntese), seguem lado a lado, pessoa a pessoa, mano a mano, memória a memória, gota a gota até chegar ao fim da experiência (o segundo parêntese) e seguir cada um o seu caminho, mas tendo omnipresente tudo o que partilhámos, construímos e aprendemos juntos.

Acho que para além de nós mesmos [Falcões da Jumeirah], conseguimos incutir em muitas das pessoas com quem nos cruzámos um embrião do cheiro a maresia portuguesa que se resume na palavra:

 

                           SAUDADE…

Anúncios

~ por vitormartinho em Maio 6, 2009.

6 Respostas to ““Gotas de memória congeladas na corrente do esquecimento””

  1. Antes de mais aproveito para agradecer-te este post e dizer que foi um prazer ser uma destas gotas que durante 9 meses fez parte da criação deste “nosso” grupo, desta “nossa” FAMILIA!!!

    Obrigado a todos por terem feito com que esta experiencia fosse ainda mais positiva…

    Os FALCÕES DA JUMEIRA, ao bom estilo de um velho combatente do ultramar, serão sempre relembrados e todas as épicas histórias contadas…

    Vemo-nos na nossa terra! Em vez de um adeus prefiro dizer um ATE JA!!!

  2. Pois,

    Passa num instante. Um fugaz momento, é o que me parece agora todo este tempo que estivémos juntos.
    Agradeço-te eu a ti, meu amigo, por te ter conhecido, e por me tido a sorte de me cruzar contigo.

    Guardarei as palavras para outra ocasião. Para uma real ocasião.

    Até lá ainda vou continuar a ter o prazer de privar, num certo modo, contigo e com o resto da família.

    Por isso até já.

  3. Olá

    Fiquei muito contente por ter sido incluída neste email 🙂

    Obrigada pelo site já estive a espreitar e acho que me vou perder (no bom sentido) a explora-lo!!

    Posso dizer com sinceridade que foi um prazer conhecer-vos, muito especialmente à malta do 1804 (não me enganei no ap, pois n?) e que espero que o contacto não se perca. Foi muito bom perceber que o João tinha feito bons amigos e que estava rodeado de boas influências e de pessoas interessantes… Isso conta muito, especialmente para mim que o tenho longe e quero-o bem.. Tenho a certeza que os laços que criaram facilitaram a distância do que é familiar e querido (sem contar os facilitadores tipo pouco trabalho, casa de luxo, mordomias de luxo, praia, sol e bom tempo, vida boa and so on :P) e aquece-me o coração ver companheirismo do bom!!

    Tens que aparecer no Porto.. apareçam todos.. faz-se um raid fotográfico pelo Norte 🙂

    Beijocas

    Sofia

  4. obrigado meu caro, excelente as tuas palavras e obrigado por teres lembrado de incluir-me nesta listagem e de ter-me incluido em algumas coisas na minha fugaz estadia nos emirados…

    abraços de saudade, mais de uma saudade boa…

    fernando

  5. Obrigado pelas palavras, conseguiram transparecer toda a verdade passada nestes 9 meses. Aprendemos todos um pouco uns com os outros,uns mais que outros, porque nem todos estão receptivos a tal. Foi um grupo muito forte e uma verdadeira fámílía!!! Foi um privilégio ter-vos conhecido a todos Falcões!!! Até já

  6. viva Alexandre.
    Só para dizer, que neste lado do mundo existe alguém com o teu apelido, a acompanhar o que andas a fazer.

    um grande abraço de força para aguentares melhor as areias do deserto.

    ps. gostei muito da “demolition zone”.

    Jorge Cruz
    http://www.blogfoleo.blogspot.com
    encruzilhada@gmail.com

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: