“Demolition Zone”

•Abril 29, 2009 • 1 Comentário

Mais um post a pretexto de mais uma experiências.

Desta feita, Time Lapse com Tilt Shift. Da varanda do apartamento onde vivo, aka Sede Recreativa, utilizei um prédio que vai sendo demolido tantricamente desde a nossa chegada – em Novembro de 2008 – para fazer umas experimentações, tanto na captação como na edição. 

Este é o resultado:

Obrigado pela visita.

PS – Podem vê-lo em ecrã completo se carregarem no ícone correspondente, no player.

Anúncios

“Camel Racing @ Abu Dhabi”

•Abril 11, 2009 • 2 comentários

Serve este post para dar conhecimento de mais uma aventura pessoal e profissional. 

Comecei, com mais uns membros da krew (aka Fámílíá) no dia 28 de Março – até 7 de Abril – O Camel Racing Festival, na Al Wathba Racetrack, a poucos quilómetros da capital dos UAE, Abu Dhabi. Em traços gerais, consistiu em maratonas de corridas diárias que começavam às 7h e acabavam por volta das 18h. Cada corrida teve entre 10 a 20 camelos – e uma avalanche de jipes com uma banda sonora que só tem paralelo com o buzinão na ponte 25 de Abril em 1994 – e vão desde 4km a 12km (havendo outras distâncias in between).

Um dado interessante é o facto dos camelos serem “pilotados” por motores de Black&Deckers ligados a uma chibata que ao ritmo das botões pressionados num controlo remoto a partir dos jipes, vão dando instruções/porrada de acordo com a estratégia da equipa. É um mal menor, visto que até há não muito tempo eram crianças até aos 16 anos (se lá chegassem) que montavam os camelos, atados (!) aos seus companheiros de corrida, para evitar quedas…

Este vídeo resulta de mais uma experiência fotográfica, desta feita, o stop motion. Não está absolutamente fantástico, mas deu para testar a fisheye 15mm na D700 (com full frame) do meu amigo e companheiro nas lides fotográficas – Quique – e para olear os dedos na edição, embora ainda os sinta meio perros…

Adiante… Espero que gostem. Se houver ideias ou sugestões, são muito bem-vindas.

A próxima experiência já está em fase de amadurecimento 😉 

“Paixão (des)incubada”

•Abril 2, 2009 • 2 comentários

A minha paixão pela fotografia deixou de estar a incubar. Deixou de ser platónica. Este ano fora, entre outras experiências positivas, serviu para (re)descobrir e aprofundar a fotografia. Pequenos grandes nadas, algumas pessoas e mais do que a miséria de ordenados que Portugal tem para dar, conspiraram para soprar  as brasas desta paixão.

252_camel-race

Aqui ficam umas fotos em jeito de teasers para o próximo post que vai ser dedicado à minha última aventura/desafio profissional e pessoal: A filmagem de corridas de camelos, perto da capital dos E.A.U. – Abu Dhabi. Um evento social e desportivo muito importante nestas paragens arábicas.

251_camel-race2254_camel-race1

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Até ao próximo, com a promessa de mais experiências e técnicas fotográficas 😉

253_camel-race

Os grandes homens estão muitas vezes solitários. Mas essa solidão é parte da sua capacidade de criar. O carácter, assim como a fotografia, desenvolve-se no escuro.”

[Youssuf Karsh]

“Tilt Shiftar pel’O Caminho”

•Março 24, 2009 • 1 Comentário

241_tilt-shift-the-walk1

… Este é o resultado da minha última experiência fotográfica.

A técnica chama-se Tilt Shift e, muito basicamente, consiste em dar um aspecto de maquete às fotografias. Com a ajuda de lentes especiais, ou, como a maioria dos comuns mortais como eu, dos pózinhos de prilimpimpim do Photoshop, faz-se um cocktail de blur, perspectiva, imaginação e cabeçadas q.b. no ecrã do computador (especialmente se se optar por fotografias que incluam palmeiras) que, se tudo correr bem, dará origem a algo deste género, ou melhor, espero eu… pelo vosso brio. 😉

A foto foi tirada no The Walk, a avenida (interpretação árabe de um boulevard) em que estou a viver. A título de curiosidade, esta é a avenida que os árabes utilizam, sobretudo às quintas e sextas à noite, para passear os seus carros (Lamborghini, Ferrari, Porshe, BMW… são os Puntos, Clios, Fiestas desta malta). Alguns dos carros – ou veículos, para ser mais preciso – mais excêntricos e caros que já vi (que incluem os milhentos emails que circulam pela internet em modo spam) vi-os aqui. Desde cruzamentos de Pick Ups (Sim, Calviño… Mas não são da Cobilhã) com camiões, até um Range Rover cor-de-rosa-choque, não esquecendo um jipe que já foi visto por várias pessoas – já não é só um mito urbano – que tem no retrovisor esquerdo uma catatua que serve para… portanto… estar lá e… dar um toque (ainda) mais fashion àquele cenário, por si só, tão estiloso. É uma espécie de Chunning Glamour (na variante Zoológica no último caso).

Obrigado pela visita.

“Dubai numa Silhueta.”

•Março 20, 2009 • 2 comentários

231_dubai-numa-silhueta

Uma silhueta do Dubai não poderia deixar de fora a mediática, porém (ainda) incompleta, Burj Dubai. Quando estiver terminada, ao que tudo indica a 09-09-[20]09 (com as capicuas de que os árabes tanto gostam), será a construção humana mais alta do mundo (818 metros – Capicua… Outra). Aqui é possível obter informações mais detalhadas, comparações e uma cronologia da sua história.

A título de curiosidade: [fonte: Wikipedia]

232_dubai-numa-silhueta

“Devaneios nas horas caladas”

•Março 13, 2009 • 1 Comentário

Resumo de um pequeno raid fotográfico pelas traseiras do bairro onde vivo – Jumeirah Beach Residence – entre o prólogo de quem dormia e o prelúdio de quem acordava.

221_devaneios-nocturnos

222_devaneios-nocturnos  223_devaneios-nocturnos1

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sheikh Zayed Road.

A espinha dorsal do Dubai, de onde todas as estradas descendem.

224_devaneios-nocturnos

225_devaneios-nocturnos226_devaneios-nocturnos

 

 

 

 

 

227_devaneios-nocturnos

228_devaneios-nocturnos229_devaneios-nocturnosExcêntricos?! Um bocadinho… No “bairro”  em que moro e já no final do passeio nocturno – quase madrugador –  deparo-me com esta…  hhmmm… instalação, vá lá…  Camiões a descarregar  gelo mimetizar neve para  improvizar uma rampa para snowboard. Arabices…

“This site is blocked”

•Março 9, 2009 • 3 comentários

211_this-site-is-blocked


É senso comum considerar a Internet como uma fonte (virtualmente) inesgotável de informação e um sinónimo de liberdade de expressão, independentemente do propósito com que cada cibernauta a utiliza. Cada ser humano tecnologicamente letrado tem na internet uma extensão de si mesmo, e um expoente do conhecimento à distância de um clique.

Também é sabido o carácter pudico que a maioria das religiões incute nos seus crentes, com o que de mau e de menos mau isso acarreta.

Quando os extremos do liberalismo e do conservadorismo se juntam no palco Mundo (real e virtual) há sempre uma probabilidade de haver feridos a lamentar. No caso: a liberdade intelectual. 

Os Emirados Árabes Unidos são, apesar de tudo, um dos países do Médio Oriente mais liberais nesta matéria. Talvez pela pressão externa, uma vez que boa parte da mão de obra, e da população (!) deste país é estrangeira. As “mãos” vêm de países como a Índia, Paquistão, Filipinas, Sri Lanka, Nepal… Os “cérebros” (entenda-se o know how) vêm sobretudo de países europeus. Com eles vem a sede da informação e o hábito, em jeito de dado adquirido, de não encontrar muitas portas trancadas no dia-a-dia. É um lobbie silencioso mas constante.

Recentemente a autoridade deste país responsável pelo bloqueio – a TRA (Telecommunications Regulatory Authority) – de alguns sites cujo o conteúdo é desviante com os usos e costumes dos autóctones [como os que incluem pornografia, gambling, ensino de práticas criminosas, hacking, e mais uma mão cheia de limitações.] decidiu retirar “mais de mil” restrições ao acesso na Grande Rede. Entre eles o youtube, hi5, facebook, twitterA meu ver, era no bloqueio de sites deste género que residia a gravidade da situação, na medida em que castrava toda uma geração de seguir o comboio da informação que o resto do mundo já apanhou.

Lista das categorias censuradas.


“A evolução é  um facto, não uma teoria.” [Carl Sagan]


Passo a passo, bem devagarinho, o mundo vai conspirando e mudando para melhor. Existem sintomas para onde quer que se olhe… 

 

Aproveito para deixar um link da TSF para um programa chamado SINAIS, de Fernando Alves. Mostraram-mo (só) esta semana, – Obrigado Joana – e tornei-me fã no mesmo momento. Um espaço com visões muito pessoais e pertinentes sobre assuntos actuais ditas de uma maneira que toca e faz pensar. 

Aqui fica um podcast que de alguma forma se relaciona com este post.

Forte abraço.